"Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá" Salmos 37:5
Postado em 08/09/2015
Hauly homenageia pracinhas da 2ª Guerra

A Câmara dos Deputados promoveu, nesta terça-feira (8), sessão solene em homenagem aos 70 anos de encerramento da participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial. O deputado Luiz Carlos Hauly (PR), um dos proponentes da comemoração, ressaltou que os chamados “pracinhas”, soldados veteranos que lutaram no conflito, encobriram a todos os brasileiros de honra. “Eles puseram de forma indelével o nome da nossa nação entre aquelas que salvaram o mundo do ódio e da perversidade do totalitarismo”, ressaltou. 

A participação do Brasil na Segunda Guerra se deu em 1942, quando, em represália ao rompimento de suas relações diplomáticas com os países do Eixo, submarinos alemães começaram a torpedear os navios brasileiros. Com isso, o então presidente, Getúlio Vargas, declarou no dia 22 de agosto do mesmo ano guerra à Alemanha e a Itália, sendo necessária a criação da Força Expedicionária Brasileira. No decorrer das batalhas, o Exercito Brasileiro conseguiu expulsar os alemães de Montese, e derrotá-los em Monte Castelo, na Itália.

Para o tucano, a atuação da FEB foi exemplar, com vitórias notáveis, além de ser responsável pela prisão de mais de 20 mil fascistas e nazistas. De acordo com o parlamentar, sem a ajuda do Exército Brasileiro na Segunda Guerra, o mundo não estaria onde está, já que sua participação foi decisiva.  Mas, conforme aponta o parlamentar, mais de 25 mil “pracinhas heróis” estiveram no conflito e cerca de 440 deles morreram em ação e mais de 3 mil ficaram feridos.

Segundo o congressista, o país tem sofrido nos últimos tempos, mas destaca que este momento é fundamental. De acordo o tucano, esta é a oportunidade para que militares e a sociedade como um todo reconstruam e repactuem o Brasil.

Em sua intervenção, o deputado Raimundo Gomes de Matos (CE) afirmou que essa é uma justa homenagem que busca preencher lacunas deixadas pelos governantes e pela sociedade de não reconhecerem devidamente o papel dos pracinhas na guerra. “Vamos valorizar e reconhecer os nossos heróis brasileiros”, defendeu. De acordo com o tucano, todos os níveis da sociedade devem ter ciência desse fato que marcou a história do país. Segundo o parlamentar, mesmo que tardiamente, é preciso despertar nos brasileiros o patriotismo e a luta constante pela democracia, principalmente nos dias atuais, em que a corrupção tomou conta da nação.

Por sua vez, o deputado Izalci (DF), em sua fala, ressaltou seu compromisso com os militares na luta por mecanismos de resgate de seus direitos, inclusive aqueles que foram tirados das Forças Armadas.

Participaram da sessão solene, entre outros, o presidente da Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira – Regional de Belo Horizonte, Marcos Moretezsohn Renautt Coelho; o ex-combatente da FEB João Batista Moreira; o ex-combatente Rafael Inácio Bras; e o general do Exército, Eduardo Dias da Costa Villas Boas.

De acordo com Marcos Moretezsohn, os pracinhas saíram de seus lares com um futuro incerto, sem saber se voltariam para suas casas. “Eles foram vingar e lavar a alma do Brasil”, destacou. Segundo João Batista, esse momento de história para a humanidade e para o país o faz acreditar “na bravura do povo brasileiro”. “Espero que, juntos, possamos ajudar a construir um país menos desigual, sem corrupção e violência, onde cada cidadão possa sentir orgulho de sua terra”, disse.

“As nações se fortalecem com o sangue de seus heróis e o sangue desses heróis é uma das matérias-primas mais preciosas”, destacou Eduardo Dias. Para ele, o país precisa resgatar a memória e reconhecer o passado de lutas do Brasil.

(Reportagem: Thábata Manhiça)

NOME:
E-MAIL:
Cadastre seu e-mail para receber novidades.